Publicidade
Agricultura
Atividade técnica em viticultura é realizada em Iraí
Adubação e manejo fitossanitário pós-colheita e manejo e cobertura do solo no inverno foram alguns dos temas abordados
Por: Joana Kraemer
Publicado em: quinta, 13 de janeiro de 2022 às 15:26h
Atualizado em: quinta, 13 de janeiro de 2022 às 15:31h

Visando à qualificação da viticultura em Iraí, na tarde de terça-feira, 11, uma atividade técnica foi realizada para produtores do município. Adubação e manejo fitossanitário pós-colheita e manejo e cobertura do solo no inverno foram alguns dos temas abordados durante a atividade organizada pela Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), na Biblioteca Municipal.

Publicidade
Publicidade

A viticultura é uma atividade que vem crescendo em Iraí. Atualmente, são cerca de 25 hectares de videiras, sendo que 40% dessa área foi implantada nos últimos dois anos, por meio de um trabalho de incentivo, com apoio e realização da Emater/RS-Ascar, a partir de orientação técnica, estudo de viabilidade da atividade, auxílio na aquisição de mudas e no manejo da cultura.

O gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luciano Schwetz, acompanhou a atividade técnica no município e relata que o objetivo do encontro foi falar sobre as estratégias de manejo pós-colheita da videira, para que os pomares possam se estabelecer e ter um melhor potencial produtivo no ano subsequente. “Foram abordados assuntos sobre o manejo e conservação do solo com o uso de plantas de cobertura, correção da fertilidade do solo, períodos de adubação durante o ano e manejo fitossanitário, para que essas plantas possam estender por um período maior a permanência das folhas, fazendo o processo de fotossíntese e, dessa forma, acumulando fotoassimilados na planta, o que garante maior maturação dos ramos e melhor condição para a produção no próximo ano”, destaca Schwetz.  

Os temas técnicos foram abordados pelo extensionista rural Doraci Bedin, que também trouxe informações sobre a demanda de nutrientes, a estratégia da implantação das plantas de cobertura, o uso de produtos fungicidas químicos e biológicos para manutenção das videiras e o manejo fitossanitário no período de pós-colheita. No fim do encontro, foi feita uma abordagem sobre qualidade de mudas.

 

Fonte: Jornal O Alto Uruguai, com informações Emater/RS-Ascar
Publicidade