Publicidade
Dezembro Vermelho
Sul é a segunda região com maior taxa de detecção da Aids no país
Apesar de uma queda de 34,6% nos últimos 10 anos, RS tem uma média de 28,3 casos por 100 mil habitantes
Por: Gustavo Menegusso
Publicado em: quarta, 01 de dezembro de 2021 às 11:34h
Atualizado em: quarta, 01 de dezembro de 2021 às 11:40h

Em meio a uma pandemia que mudou o mundo tão rapidamente, muitos problemas históricos de saúde, dentre eles a Aids, acabaram ficando menos visíveis, embora nunca deixaram de existir e preocupar a população. Segundo dados da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), estima-se que o número de novos casos de HIV na América Latina tenha aumentado 21% na última década, chegando a aproximadamente 120 mil novas pessoas infectadas em 2019. Já no Brasil, de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, de dezembro de 2020, a taxa de detecção de Aids diminuiu 17,2% nos últimos 10 anos, passando de 22,2 casos por 100 mil habitantes, em 2011, para 17,8 casos a cada 100 mil habitantes em 2019. 

Publicidade
Publicidade

Região Sul tem tendência de queda nos últimos anos
Ainda, conforme o boletim, na região Sul a queda de detecção da Aids foi de 30,3% na última década, passando de 32,7 para 22,8 casos por 100 mil habitantes. No entanto, o Sul ainda é a segunda região com a maior taxa de detecção da doença no país, com o RS na liderança, puxado pelas altas taxas de Porto Alegre (quase 60 casos por 100 mil habitantes), o maior índice entre todas as capitais do país.


Rio Grande do Sul
Taxa de detecção da Aids 2009: 43,3 casos por 100 mil habitantes
Taxa de detecção da Aids 2019: 28,3 casos por 100 mil habitantes
Porcentagem: - 34,6%

Santa Catarina
Taxa de detecção da Aids 2009: 36,9 casos por 100 mil habitantes
Taxa de detecção da Aids 2019: 25,1 casos por 100 mil habitantes
Porcentagem: - 32%

Paraná
Taxa de detecção da Aids 2009: 19,5 casos por 100 mil habitantes
Taxa de detecção da Aids 2019: 15,9 casos por 100 mil habitantes
Porcentagem: - 18,5%

Campanha nacional incentiva a prevenção
Instituída pela Lei nº 13.504/2017, a campanha Dezembro Vermelho marca uma grande mobilização nacional na luta contra o vírus HIV, a Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), chamando a atenção para a prevenção, a assistência e a proteção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV.
Em cada cidade, cada Secretaria Municipal de Saúde é responsável por promover um conjunto de ações, além de incentivar os testes rápidos, para o diagnóstico do HIV.  
Além do Dezembro Vermelho, hoje, 1º, é considerado o Dia Mundial de Luta contra a Aids. 
 

Fonte: Jornal O Alto Uruguai
Publicidade