Publicidade
Região
Projeto distribui composteiras na zona urbana em Caiçara
Iniciativa visa conscientizar a população para descarte correto de lixo
Por: Gustavo Menegusso
Publicado em: quarta, 25 de agosto de 2021 às 16:00h
Atualizado em: quarta, 10 de novembro de 2021 às 20:19h

Pensando em proporcionar o descarte correto de resíduos orgânicos, o Departamento Municipal de Meio Ambiente de Caiçara, em parceria com a Emater/RS-Ascar municipal, elaborou o projeto “Coleta seletiva e compostagem doméstica com bombonas”. A iniciativa também visa uma economia aos cofres públicos, uma vez que mais de 50% do peso total dos resíduos sólidos que o município manda para o aterro sanitário do Cigres, em Seberi, são de fração orgânicas.
O projeto foi inscrito junto ao Fundo de Desenvolvimento Regional do Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG, o qual liberou os recursos financeiros para aquisição das composteiras. “A utilização da bombona consiste em enterrá-la no solo, deixando apenas de fora a parte superior, onde contém a tampa com rosca. Os restos de resíduos orgânicos são colocados dentro da mesma e, quando estiver completa, deixa-se fechada em torno de 150 dias, tempo em que este material se decompõe e se transforma em adubo orgânico, disponível para utilização em flores, hortas, entre outros”, explica Fábio Klein, responsável pelo Departamento de Meio Ambiente.

Publicidade
Publicidade


Conscientização da população
A iniciativa teve a adesão da Escola Estadual de Ensino Médio 20 de Setembro, a qual tem desenvolvido atividades pedagógicas, em parceria com a administração municipal, visando sensibilizar a população caiçarense sobre a questão do lixo. 
Para a efetivação dessa proposta estão sendo distribuídos 230 composteiras (bombonas) à população urbana interessada para descarte do lixo orgânico domiciliar. “Ainda se percebe muitas ações indevidas acerca do descarte do lixo em nosso município, o que acarreta custos mais onerosos na execução da coleta seletiva”, comenta a líder do projeto, primeira-dama e professora Izaura Ceolin dos Santos.
Izaura também destaca que a escola é o local onde a educação ambiental deve iniciar. “A escola é responsável por formar indivíduos preocupados com os problemas ambientais e que busquem a preservação dos recursos naturais. Logo, essas pequenas ações fazem a diferença”, complementa a primeira-dama.
Dentro do projeto, os alunos realizarão programas de rádio e outras ações complementares, a fim de instigar a sociedade a ser mais comprometida com o meio ambiente. 
As composteiras serão disponibilizadas com prioridade aos moradores da zona urbana, devido às dificuldades de local adequado para esse descarte, e os interessados podem entrar em contato com a Escola 20 de Setembro, pelo número (55) 3738-1234, ou diretamente no Departamento do Meio Ambiente (55) 3738-1212.
 

Fonte: Jornal O Alto Uruguai