Educação inclusiva
Projeto promove a “liberdade” por meio da leitura
Iniciativa é realizada desde o mês de junho no Presídio Estadual de Frederico Westphalen e envolve cerca de 40 apenados
Por: Gustavo Menegusso
Publicado em: quinta, 25 de novembro de 2021 às 08:54h
Atualizado em: quinta, 25 de novembro de 2021 às 09:13h

Reduzir quatro dias de pena para cada livro lido na prisão já é uma realidade no Presídio Estadual de Frederico Westphalen desde o mês de junho, quando foi instituído na casa prisional o projeto de Remição pela Leitura. A iniciativa, que desde 2013 era apenas uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), tornou-se agora uma resolução, que estabelece procedimentos e diretrizes a serem observados pelo Poder Judiciário para o reconhecimento deste direito. “A cada livro lido, o apenado deverá fazer um relatório, e se ele conseguir demonstrar, com seu nível de escolaridade, que realmente fez a leitura, conseguirá fazer a remição de quatro dias da sua pena. Contudo, para este fim, o preso poderá ler um livro por mês, totalizando 12 obras em um ano, ou seja, até 48 dias de redução”, explica a assistente social, Nadia Wacheleski, que trabalha no presídio junto com a também assistente social, Sandra Coutinho Vasconcelos.

Publicidade
Publicidade

Livros foram doados pela comunidade
De acordo com Nadia, as leituras vão desde os clássicos da literatura brasileira até os romances mais atuais, além de autoajuda. “Foram todos livros doados pela comunidade de FW. O Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Rodeio da Querência, inclusive, fez uma campanha para o projeto em que foram arrecadadas cerca de 200 obras”, detalha.
Quem quiser também contribuir com a iniciativa e doar livros para a casa prisional pode entrar em contato com as assistentes sociais pelo contato (55) 3744-2940. “Este foi mais um espaço que buscamos construir para que os apenados pudessem ter acesso à educação, um direito deles mesmo com a sentença condenatória. É uma forma de tentar ofertar outros caminhos na busca de suas reintegrações”, finaliza Nadia.
Atualmente, cerca de 40 apenados integram o projeto no Presídio de FW.

Campanha do CTG Rodeio da Querência arrecadou cerca de 200 livros para o projeto do presídio (Foto: Divulgação)
 

Participação na Feira do Livro de Porto Alegre
Com o objetivo de promover a participação de jovens e adultos privados de liberdade em atividades culturais, a 67ª Feira do Livro de Porto Alegre contou uma programação especial voltada aos sistemas penal e socioeducativo, no dia 12 de novembro. O evento foi realizado virtualmente, pela plataforma Microsoft Teams, e contou com a participação dos apenados do Presídio de FW. Na oportunidade, eles acompanharam um diálogo com três autores – Fabricio Carpinejar, patrono da feira; Ana Cardoso e Marcos Piangers, que trabalharam o conteúdo dos seus livros. 
Com o tema "Para ler um novo mundo", Feira do Livro de Porto Alegre foi realizada em formato híbrido, de 29 de outubro a 15 de novembro.

Apenados do Presídio de FW participaram, no dia 12, de programação da Feira do Livro de Porto Alegre (Foto: Divulgação)
Fonte: Jornal O Alto Uruguai