Publicidade
Rural
Estiagem leva municípios a renovarem decretos de emergência
Assim como em 2020, falta de chuvas volumosas volta a preocupar a região
Por: Gustavo Menegusso
Publicado em: quarta, 05 de maio de 2021 às 08:59h
Atualizado em: quarta, 05 de maio de 2021 às 09:03h

A falta de chuvas volumosas, que vem assolando a região desde o fim de 2019, e agora novamente nos últimos meses, está obrigando os municípios a renovarem seus decretos de situação de emergência. Desde novembro de 2020, somente na abrangência do jornal O Alto Uruguai, 19 cidades estavam com decretos homologados e reconhecidos pelo governo do Estado.
Com a continuidade da estiagem e, consequentemente, do aumento dos prejuízos em razão das perdas na agricultura, bacia leiteira e também no abastecimento de água para consumo humano e animais, alguns municípios estão atualizando seus decretos, como é o caso de Planalto. O documento foi assinado na segunda-feira, 3, após reunião e parecer da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil e do Conselho de Defesa Civil, a qual indicou a necessidade do novo decreto, com base em informações mais recentes apresentadas, principalmente, por meio das Secretarias da Agricultura, Assistência Social e Obras. O principal efeito prático do decreto é a possibilidade de auxílio da municipalidade ao setor agrícola inicialmente, bem como a reinvindicação de mantimentos de emergência junto à Defesa Civil Estadual após a homologação do decreto.
Outro município que fará a renovação do decreto é Caiçara. Segundo o prefeito em exercício, Dirceu Antônio Stefanello, a administração municipal já está providenciando os documentos necessários. “Estamos enfrentando um período difícil, dentre eles, a situação que vive a agricultura, em um período de estiagem e uma grande procura de agricultores na prefeitura, por meio das suas secretarias, em busca de serviços emergenciais. Por isso, estamos dando uma atenção especial para as Secretarias de Obras e Agricultura, com direcionamento dos trabalhos na abertura de bebedouros, fornecimento de água, entre outros serviços voltados para tentar amenizar as perdas dos agricultores no que se refere à estiagem”, comenta Stefanello.
 

Publicidade
Publicidade
Fonte: Jornal O Alto Uruguai