Geral
FW: valor da cesta básica apresenta aumento de 3, 03% em setembro
Entre os produtos, o tomate longa vida registrou o maior preço, enquanto o arroz foi o item com maior redução
Por: Cíntia Henker
Publicado em: quarta, 13 de outubro de 2021 às 17:28h
Atualizado em: quarta, 13 de outubro de 2021 às 17:55h

A Ração Essencial Mínima (cesta básica) teve alta de 3,03 % em Frederico Westphalen, neste mês de setembro, passando a custar R$ 577. Os dados foram comparados aos números divulgados em agosto, e o levantamento foi feito pelo Projeto Observatório Econômico, iniciativa do curso de Ciências Contábeis da URI/FW, que monitora mensalmente a variação do preço de alimentos e de outros itens em supermercados frederiquenses.
A Cesta Básica Alimentar é composta por 13 itens de gêneros alimentícios básicos necessários à alimentação diária do trabalhador adulto, sendo eles feijão, arroz, farinha, pão, carne, leite, açúcar, banana, óleo, margarina, tomate, café e batata. Em FW, o produto que apresentou o maior aumento foi o tomate longa vida (14,96%), sendo que o preço médio em agosto, que era de R$ 5,62/kg, passou para R$ 6,49/kg em setembro. O pão francês, que em agosto custava R$ 8,87/kg, aumentou para R$ 9,62/kg no mês de setembro. Seguidos pelo açúcar cristal, que aumentou 5,36%.
Por outro lado, o arroz foi o item que apresentou maior redução (6,69%), cujo preço médio passou de R$ 5,01/kg, em agosto, para R$ 4,68/kg, em setembro. Outros produtos que tiveram comportamento semelhante foram a banana (4,67%) e o feijão preto (2,10%).

Publicidade
Publicidade

Variação dos preços

Aumentou

%

Diminuiu

%

Tomate longa vida

14,96

Arroz

-6,69

Pão francês

8,48

Banana

-4,67

Açúcar cristal

5,36

Feijão preto

-2,10

Leite integral UHT

4,56

Farinha de trigo

-0,14

Manteiga

3,02

 

 

Batata inglesa branca

1,97

 

 

Carne bovina

1,93

 

 

Café moído tradicional

1,89

 

 

Óleo de soja

1,06

 

 

Queda no poder de compra 
O aumento, por sua vez, resultou na queda do poder de compra do trabalhador durante o mês de setembro. De acordo com os dados, o comprometimento da renda, que era 55,34% em agosto, aumentou para 57,02% no mês analisado, tomando-se como referência o salário mínimo líquido (R$1.012), restando R$ 435 para atender as demais necessidades básicas, como água, energia, saúde, serviços pessoais, vestuários, lazer e outros.  
Uma família constituída por quatro pessoas, por exemplo, necessitaria de aproximadamente R$ 4.3847 para atender todas as despesas. 


Gastos mensais
Ração essencial – 57,02%
Demais despesas – 42,98%


Hortifrutigranjeiros representam maior alta de preço
Além do levantamento feito com os alimentos considerados essenciais, o projeto também analisou mais 51 produtos, que foram distribuídos em nove grupos alimentícios – grãos, farináceos, mercearia, carnes, óleos, hortifrutigranjeiros, higiene, bebidas entre outros artigos. 
De modo geral, o grupo de hortifrutigranjeiros, seguido das bebidas, apresentou a maior alta no mês anterior. Conforme o levantamento, o aumento de 10,10% no valor da cerveja e 0,52% no preço de refrigerante contribuíram com a alta. 


O Projeto Observatório Econômico é uma iniciativa do curso de Ciências Contábeis da URI/FW e coordenado pelos professores Alzenir José de Vargas, Tamara Silvana Menuzzi Diverio e Luiz Gustavo Zuliani da Silva. Tem como bolsistas os alunos Adriana Mazzutti, Maisa Marchesan Strack, Priscila da Rosa e Silvia Marli Kempka.

Fonte: Jornal O Alto Uruguai