Emily Tomazoni
Da região para prenda do Estado
Desenvoltura e amor incondicional pela cultura gaúcha é o que não faltam para a Emily Tomazoni
Por: Suseli Cristo
Publicado em: quarta, 29 de setembro de 2021 às 15:05h
Atualizado em: quarta, 29 de setembro de 2021 às 15:15h

Desenvoltura e amor incondicional pela cultura gaúcha é o que não faltam para a Emily Tomazoni, de 18 anos. Residente em Rodeio Bonito, a jovem estampa o seu orgulho pelo tradicionalismo em cada faixa de prenda que já conquistou no CTG Gaudérios do Rodeio, e esse sentimento da filha da dona Marisete e do seu Valdomiro foi reafirmado neste mês, ao ser anunciada como a 3ª Prenda Juvenil do Rio Grande do Sul.
– Minha trajetória tradicionalista iniciou em 2014, onde comecei a participar das invernadas artísticas, por incentivo de meus pais. Em 2016, recebi o convite da professora Leida Sommer para participar dos concursos de prendas, e me consagrei 1ª Prenda Juvenil do CTG Gaudérios do Rodeio. Em 2017, obtive o título de 1ª Prenda Juvenil da 28ª Região Tradicionalista, oportunizando-me a participar da Ciranda Cultural de Prendas em nível estadual. Nesta edição, não obtive o título e retornei aos concursos internos da minha entidade, novamente como 1ª Prenda Juvenil. Em 2019, participei da Ciranda Regional e fui agraciada com a possibilidade de estar novamente representando minha entidade e região em nível estadual, como 1ª Prenda Juvenil da 28ª RT – conta Emily, que já ocupou o cargo de 2ª Xirua das Falas e atualmente é diretora do Departamento de Marketing do CTG Gaudérios do Rodeio.

Publicidade
Publicidade

Família unida
Em razão da atuação de Emily no CTG, a sua família também foi participando mais das atividades promovidas. “Em 2018, meu pai assumiu como patrão do CTG e trabalhou fortemente em prol do tradicionalismo. Foram eles que me mostraram que nunca devemos desistir daquilo que amamos e devemos lutar por nossos sonhos. Com isso, meu irmão, Luis Antonio, percebendo o gosto da nossa família pela cultura, também começou a participar das invernadas artísticas, dos concursos e, principalmente, desenvolveu um grande fervor pela arte de declamar, algo que me deixa muito orgulhosa”, frisa a prenda, lembrando que ela, além das faixas, participou de algumas edições dos Rodeios Artísticos da 28ª RT, tanto na categoria de Danças Tradicionais, como também na modalidade Declamação Feminina Juvenil, onde classificou-se em 1º Lugar nos anos de 2018 e 2019.

Mulheres de outrora
No período de gestão regional, Emily buscou desenvolver um trabalho de resgate das mulheres que fizeram e fazem história no tradicionalismo. Assim, com o apoio de sua entidade, região e de alguns patrocinadores, conseguiu reunir as informações necessárias e publicar o livro “Mulheres de outrora: o legado que permanece”. 
– Sou muito feliz em ver o espaço que estamos ocupando e assumindo. Em minha região, vejo que muitas mulheres estão assumindo o cargo de patroas de CTGs, dirigindo departamentos. Inspiro-me nessas mulheres que são fortes, batalhadoras, que não medem esforços, dão o seu melhor e se entregam à causa pela qual participam. Dentre essas, tenho grande carinho pela minha mãe, que é uma grande batalhadora e guerreira, e pela professora Leida. Meu objetivo é dar continuidade a essa pesquisa, buscando conhecer, valorizar, resgatar e divulgar a história de tantas outras mulheres que se dedicaram pela causa tradicionalista e são detentoras e merecedoras de todo o reconhecimento – destaca.

Realização do sonho
Neste mês de setembro, no dia 11, aconteceu a divulgação dos resultados da Ciranda de Prendas, e com o coração carregado de emoções Emily recebeu uma das melhores notícias. “Ao ouvir que a 3ª Prenda Juvenil do RS vinha de longe e pertencia à uma região que estará sediando o Congresso Tradicionalista, soube que todo o trabalho havia sido recompensado e o ‘persistir pela causa que amamos’ valeu a pena. Digo isso não apenas pela classificação, mas pelo reconhecimento do trabalhado desenvolvido durante essa gestão. Os títulos são passageiros, mas aquilo que construímos ao longo da nossa trajetória, as amizades e os valores que transmitimos são permanentes e importantíssimos. Ser reconhecida como prenda do Estado foi a realização de um sonho, construído com o apoio de tantas pessoas que contribuíram para a pessoa que sou hoje e todo o legado que carrego comigo. Meu outro sonho agora é fazer com que as novas gerações tenham acesso ao conhecimento, para que sejam ferramentas pensantes e ativas para o prosseguimento desse movimento”, descreve.
Agora, como representante estadual da juventude tradicionalista, o compromisso e responsabilidade de Emily serão ainda maiores. “Nesta gestão estadual, buscarei dar o melhor de mim na realização das atividades e projetos propostos, almejando preservar e cultivar os princípios e ideias do tradicionalismo, porque, além de estarmos assumindo a representatividade da juventude, também estamos na linha de frente para a construção do futuro deste movimento, o qual deve ser agregador e inclusivo”, finaliza.
 

Fonte: Jornal O Alto Uruguai