Publicidade
Clima
Primavera será de chuvas abaixo da média e muito calor
La Niña deve ser o responsável pela elevação das temperaturas e a probabilidade de estiagem ao longo da estação
Por: Joana Kraemer
Publicado em: quarta, 22 de setembro de 2021 às 09:41h
Atualizado em: quarta, 22 de setembro de 2021 às 09:45h

Às 16h21min desta quarta-feira, 22, inicia oficialmente a primavera no Brasil. Anualmente, a chegada da nova estação muda o cenário das paisagens nas ruas e jardins, com a floração das plantas, mas também marca o período em que as chuvas aparecem com mais frequência. Porém, para este ano de 2021, as previsões não são muito animadoras, especialmente por haver a chance de um novo La Niña.
Segundo as previsões meteorológicas, o trimestre de setembro a novembro será caracterizado pela escassez de chuva e temperaturas acima da média para o período, isso porque o La Niña está prestes a começar no Oceano Pacífico Equatorial. 
O fenômeno, de acordo com os meteorologistas, altera as temperaturas médias, aumentando a probabilidade de estiagem ao longo da estação. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é que o evento ocorra em meados de outubro e seja de fraca intensidade. Isso não quer dizer que não choverá ou que será totalmente seco, nem que não ocorrerá chuva forte. Alguns eventos de precipitação intensa ainda são esperados, especialmente em setembro e outubro, mas a tendência é que sejam mais espaçados, com intervalos de uma semana a 14 dias, por exemplo. “Já seria o esperado e o normal para a época, mas a expectativa é de que seja ainda mais evidente, que a gente tenha uma chuva com volumes ainda menores do que nos últimos meses”, explica a meteorologista Ana Clara Marques, do Climatempo.

Publicidade
Publicidade

Temperaturas 
A maior parte da estação haverá registros de temperaturas médias mensais dentro e acima da média normal em praticamente todo o país. De acordo com os centros de meteorologia, será possível observar a ocorrência de nova onda de calor, porém não tão intensa quanto a identificada na primavera de 2020, quando várias regiões do país bateram recordes históricos de altas temperaturas. 
Devido ao espaçamento nos períodos chuvosos, deve haver menos nebulosidade, consequentemente, céu mais limpo, o que deve ocorrer sobretudo em novembro e dezembro, este último que deve ser o mês mais quente. Em outubro, espera-se condições mais amenas de tempo.
As previsões de temperatura indicam que o interior do Estado pode atingir 40°C ainda em dezembro. 

Fonte: Jornal O Alto Uruguai