Publicidade
Impostos
Suinocultura brasileira está trabalhando há seis meses no prejuízo
Declaração foi feita pelo presidente da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes
Por: Suseli Cristo
Publicado em: sexta, 20 de agosto de 2021 às 10:06h
Atualizado em: sexta, 20 de agosto de 2021 às 10:09h

A alta nos custos de produção e a baixa remuneração do suíno vivo no primeiro semestre deste ano mexeu com a suinocultura brasileira. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, o setor trabalha há seis meses no prejuízo.
Atualmente, a ração é responsável por mais da metade dos custos de produção, sendo que o milho é o insumo mais utilizado. Em janeiro de 2021, o cereal custava R$ 83 por saca de 60 quilos. No início do mês, o valor chegou a R$ 99.
O presidente da ABCS disse que o setor comemorou o anúncio da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, feito nesta terça-feira, 17, de que o governo federal vai isentar a tributação sobre a importação de milho até o fim deste mês. “É uma ajuda importante”, reforça Lopes.
O presidente da ABCS, que participou de uma reunião com a ministra, também falou sobre a preocupação do Brasil com a peste suína africana. “É importante ressaltar que o Brasil não tem nenhum caso, mas estamos preparados para evitar que essa doença possa chegar ao país”, afirma.
 

Publicidade
Publicidade
Fonte: Jornal O Alto Uruguai, com informações do Canal Rural