PUBLICIDADE
9 - coronavírus
Embarque imediato com Daiane Schröder
Embarque imediato com Daiane Schröder

Daiane Schröder
Natural de São Sepé, reside em Frederico Westphalen desde 2017. Produz conteúdo sobre experiências de viagens e turismo pelo mundo.
Bacharela em Direito, graduanda em Relações Públicas e pós-graduanda em Influência Digital.
Contato: [email protected]

Cambará do Sul - A TERRA DOS CÂNIONS

Turismo de aventura e contemplação

Tags: embarque imediato, blogs de viagens, aventura, natureza, turismo.

Publicado em 25/06/2018, última alteração em: 29/06/2018 01:47 por Daiane Schröder.


Muita gente não sabe, mas o potencial turístico do Rio Grande do Sul vai muito além da capital e de Gramado! O estado contempla cantinhos com identidade única, proporcionando todo tipo de passeio. E são esses que quero trazer, para o blog, frequentemente. Um deles é Cambará do Sul, cidade com quase 7 mil habitantes, à 197 km de Porto Alegre e 541 km de Frederico Westphalen, com cânions espetaculares, cachoeiras, rapel, cavalgadas, passeios de bike, de 4x4, de bote, e também é terra do mel.

O Cânion Itaimbézinho faz parte do parque Aparados da Serra e o Cânion Fortaleza, do parque da Serra Geral. Este possui a maior parte da Mata Atlântica preservada do país e o maior número de vertentes de águas cristalinas. Em viagem para Cambará, eu e uma amiga, deixamos Gramado (distante 113 km) ainda de dia, mas algo deu errado no GPS e nos perdemos várias vezes, de modo a voltarmos sempre para um mesmo ponto. Era tarde da noite, a rodovia vazia, nem sinal de civilização, muito menos um posto de gasolina. A ansiedade começava a chegar, mas precisava disfarçá-la pra não preocupar a motorista (tento ser uma "copilota" legal!). Quando finalmente encontramos a cidade, minha primeira reação foi de estranheza: parecia abandonada! 

Nossa pousada, era um quarto reservado pelo booking, anexo a uma lojinha. Fomos recebidas pelo hospitaleiro proprietário, que mesmo com o tardar na noite, providenciou uma guia turística para nos levar no dia seguinte à trilha do cânion, para não danificar o carro alugado. A acomodação era muito simples (simples mesmo!), mas cheirosa, limpa, confortável e o que procurávamos: econômica (pagamos o total de 90,00 a diária). Afinal, só precisávamos de um canto para descansar algumas horas. Estávamos com muita fome e não havia nenhum lugar aberto para comermos. Então eu abro a mala e surpresa!!! Tenho salgadinhos, bolachas, água mineral e até uma garrafa de vinho! Minha amiga ri e diz: "Dai, tu pensa em tudo. Tu está pronta pra ser mãe!" Listei esse comentário como um dos mais engraçados que já ouvi na vida!

Como tínhamos tempo somente para conhecer um cânion, perguntamos ao dono da pousada qual ele recomendava, usei as palavras “qual o mais bonito, o melhor?!”. Ele respondeu que ambos eram bonitos, porém,  entre os dois o Fortaleza era o mais “completo”. Consideramos a dica e pela manhã, fomos até uma padaria, tomamos café e encontramos a guia que nos levou em seu carro até o começo da trilha (a estrada estava bem pedregosa) e depois seguimos a pé. Há várias agências que oferecem tours em Cambará, caso não queira colocar seu carro na estrada ou prefira o acompanhamento de um guia. Eu diria que dois dias inteiros na cidade são suficientes para os dois cânions, mas dependerá de quantas outras atividades pretende realizar e o ritmo de cada pessoa. Cambará é um pouco limitada quanto à oferta de outros tipos de turismo, mas alguns hoteis especializados oferecem experiências à parte.

Foto aérea retirada do wikipédia.

A caminhada no Fortaleza totalizou 3km (ida e volta), possui nível fácil, e a vista dos seus 7,5km de extensão e 900m de profundidade é majestosa. Era metade de agosto e a visibilidade do cânion, estava perfeita. Acesse https://twitter.com/PNAS_PNSG para consultá-la.

Todos os dias, o parque pode ser visitado, das 8h às 17h. Durante o horário de verão, fica aberto até às 18h e a permanência é até 20h. O Fortaleza possui três trilhas: Mirante do Fortaleza (que fizemos), Cachoeira do Tigre Preto (3km) e Pedra do Segredo (complementa a do tigre preto, e se observa um bloco de rochas basálticas com 5m de altura, apoiadas em uma base de 50cm). Antes de chegar nelas, percorre-se 23,8 km desde o centro de Cambará (e pega-se a estrada na esquina do Supermercado Pioneer), sendo que 9,2 km será estrada de terra. Há banheiro somente na entrada do parque. Dizem ser possível ver o litoral, Torres, a partir do mirante, mas eu não enxerguei.

Tem uma cascatinha ali!

Já o Cânion Itaimbézinho, com 700 metros de profundidade e paredões estreitos, situado na fronteira natural entre Cambará (RS) e Praia Grande (SC), pode ser visitado de terça a domingo, das 8h às 17h, com horários de entrada distintos para cada trilha: Trilha do Cotovelo (6 km ida e volta, permite ter uma visão geral do cânion), entrada no parque até às 15h; Trilha do Rio do Boi (a caminhada é na fenda do cânion, no leito do rio, onde se passará por cachoeiras e piscinas naturais, de nível mais intenso, em torno de 7h ida e volta, a entrada é pela guarita em Praia Grande (SC) e para fazer a trilha, deve-se ter a partir de 12 anos e é obrigatório contratar um guia credenciado do Parque), entrada até às 13h (no verão, abre às segundas); Trilha do Vértice (1,5 km ida e volta, com visão parcial do cânion e vista das Cachoeira das Andorinhas e da Cascata Véu de Noiva), entrada até às 17h; Em feriados nacionais e datas especiais, o parque abre às segundas-feiras que precede-os. Este parque apresenta um centro de visitantes (com banheiro) e o ingresso custa R$ 8,00 para brasileiros (por visitante), sendo que menores de 12 anos e maiores de 60 estão isentos. O estacionamento é pago: R$ 9 para motos, R$ 15 para carros e R$ 30 para ônibus e micrônibus. 

Dicas importantes (trilha do rio do boi, verificar recomendações com o guia): usar protetor solar, roupas e tênis confortáveis; Levar água, lanche e uma sacolinha para guardar seu lixo; verifique a temperatura nas datas da sua viagem (junho e julho costumam ser bem frios); Não alimentar os animais silvestres e lembrar sempre que a sinalização nos cânions será o nosso bom senso e prudência. 

Para complementar o post, ouvimos a Keli Silva, que esteve na metade de outubro nos dois cânions: ela recomenda fazer o Fortaleza por último. E para comer, indicou a Pizzaria Retrô: "um ambiente temático muito legal, com excelente atendimento e uma das melhores pizzas que já comi. Destaque para a de paçoca de pinhão!" E disse ainda: "Ficamos horas contemplando o Fortaleza, havia um pessoal fazendo piquenique... Quero voltar e também fazer, além de percorrer mais trilhas e conhecer outros cânions".

Cânion Fortaleza. O dia estava assim! Eu achei lindo também!

Cânion Itaimbézinho. 

Café e natureza! Combinação perfeita, registrada pelo @diegoo_bandeira, no Itaimbézinho.

Após o nosso passeio, almoçamos em um típico restaurante gaúcho, com comida campeira e gaiteiro, no rústico Galpão Costaneira

 

A boneca prendinha identificava o banheiro feminino. Na mesa, queijo e linguiça (pra amiga, já que eu não como). E sob o vidro de cada mesa, recadinhos de clientes que por ali passaram. Há uma variedade de cachaças para degustação, alguns sabores eu nem sabia que existiam!

Encontrei essa erva mate para vender no restaurante e apaixonei. Não encontro nos mercados próximos de mim, tenho comprado pela loja online mesmo. É de menta com flores, produzida em Sapiranga, refresca sem perder a essência de erva-mate. 

Outros lugares para conhecer (as empresas de turismo oferecem rotas incluindo vários desses lugares em um mesmo dia): Lajeado das Margaridas, Cachoeira do Tio França (R$ 10,00 a entrada) - próximo 3km do centro de Cambará e onde está a Estância Felicidade (fotografias mostram um belo por do sol visto dela), Cascata dos Venâncios (R$ 10,00 a entrada) - e projeto Quintais de Cambará do Sul que conta também com produtos caseiros, artesanatos, etc -, Cânion Malacara (a entrada é por Praia Grande-SC), Cânion Josafaz (é o maior cânion do Parque Aparados da Serra, possui 16 km de extensão, fazendo parte do município de São Francisco de Paula. É muito pouco explorado e as trilhas são mais difíceis), Cânion Índios Coroados (a trilha é bem curta), Passo da Ilha (à 41 km de Cambará, na divisa com São Francisco de Paula), Passo do S (o rio passa por um lajeado em forma de S, e mais adiante se transforma em cachoeira. Fica à 38 km de Cambará, localiza-se em Jaquirana, no Parque Estadual do Tainhas).  

 

Cascata dos Venâncios

Produção de geléias - Sabores da Querência (Projeto Quintais de Cambará do Sul).

- A minissérie "A casa das Sete Mulheres", as novelas Esplendor, Chocolate com Pimenta, mais alguns filmes e comerciais, usufruiram dos cenários de Cambará do Sul.

- Site do Instituto Chico Mendes, responsável pela administração dos Parques: http://www.icmbio.gov.br/parnaaparadosdaserra/guia-do-visitante.html 

Ficou curioso? Então dá o play nesse vídeo institucional da cidade e contemple!

 

Gostou? Deixa um comentário!

Abraço,

Dai.

 

Pra não perder nada:

Página no Facebook: auembarqueimediato

Instagram: daianeschroder

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica