PUBLICIDADE
9 - coronavírus
Embarque imediato com Daiane Schröder
Embarque imediato com Daiane Schröder

Daiane Schröder
Natural de São Sepé, reside em Frederico Westphalen desde 2017. Produz conteúdo sobre experiências de viagens e turismo pelo mundo.
Bacharela em Direito, graduanda em Relações Públicas e pós-graduanda em Influência Digital.
Contato: [email protected]

SAN ANDRÉS - O mar das 7 cores

Conheça o Caribe Colombiano

Estou lá de boas, boiando de costas e uma criança se agarra no meu braço e eu afundo. Quando me recupero, tem duas garotinhas alvoroçadas "Hola! Un tito! Me lleva a un tito!"

Eu meio ensurdecida da quantidade de água que entrou nos ouvidos, questiono: teu tio? Tu quer que te leve no teu tio? 
E elas: Sin! Un tito! Queremos! 
- Mas onde está tu tito? - pergunto.
- Comprar un tito! 
- Comprar? Mas o que é tito? 
- Tu não sabe o que é tito? - surpresas, elas exclamam!
- Eu não! 
- Tu tienes plata! - apontam pra o porta celular pendurado no meu pescoço que deixa transparecer uns trocadinhos. 

Busquei com os olhos na areia onde andaria a mãe daquelas duas... Não demorou muito elas já acharam outras pessoas para se entrosarem. E esse foi meu primeiro banho de praia em San Andrés. Apesar do batismo forçado, hoje minhas lembranças colombianas são embaladas pelas contagiantes músicas latinas. E o tal de tito, até hoje não tenho certeza do que era... será um cheetos?

Era julho do ano passado e eu estava quase em férias e ainda sem destino para curtí-las! Queria fugir do frio e recarregar as energias, na época o destino em alta e ao mesmo tempo com valores de despesas baixas era: San Andrés. Eu pisaria pela primeira vez no Caribe!  

Fuso horário: 2 horas a menos que o horário de Brasília.

Idioma: oficialmente é espanhol (mas eu não domino muito e algumas vezes desenvolvia um portunhol). Minha comunicação foi muitas vezes em inglês, sempre perguntando educadamente se a pessoa também falava.

Moeda: peso colombiano (COP). Recomendo levar em dólares e trocá-los em casa de câmbio. Algumas pessoas enviam dinheiro pelo Western Union e retiram lá (há uma galeria bem próxima do calçadão em que a agência pode ser acessada), eu nunca utilizei esta modalidade de envio de dinheiro para fora. Muitos estabelecimentos aceitam dólares, mas as vezes pode sair mais caro do que pagar com a moeda local. Não esqueça de desbloquear seu cartão de crédito para uso no exterior.

Tomadas: Assustadas! Assim eu chamo as tomadas com padrão americano. Todo viajante precisa ter um adaptador de tomadas universal, para levar onde for. Nos aeroportos brasileiros é comum encontrar quiosques ou lojas que vendem.

Documentos para entrada: brasileiros a turismo não precisam de visto para entrar e podem permanecer até 90 dias (podendo pedir prorrogação). Apresente sua carteira de identidade (em bom estado de conservação e com foto que permita identificar-lhe claramente) ou passaporte. Apresente a passagem de ida e volta do país e o Certificado Internacional de Vacinação. A Colômbia exige a vacina para febre amarela e para isso, o Certificado Internacional é o documento que deve ser apresentado na imigração. Se você ainda não possui, siga esses passos.

Seguro viagem: não exigem, fica a seu critério.

Atenção: Para entrar na ilha de San Andrés é necessário, ainda no guichê da companhia aérea antes de embarcar, o pagamento da taxa no valor de 105.000 pesos colombianos, mantenha esse comprovante com você até a saída do país. Ao chegar no pequeno aeroporto, logo após a imigração (onde conferem os documentos e o boleto turístico), você entra na fila para abrir sua bagagem aos fiscais.  

 

Boleto turístico para entrar na ilha - sempre tiro fotos de documentos importantes, pois se algo acontecer e eu perdê-los, tenho como comprovar!

Melhor época para ir: dezembro a março e de julho a agosto. De agosto até novembro é o período dos furacões no mar do Caribe (principalmente no México) e embora San Andrés não faça parte desta rota e nem seja impactada diretamente, ela pode sofrer algumas consequências, como as chuvas. Se você for na primeira semana de agosto como eu, prepare-se para umas chuvinhas desavisadas. Você acha que vai perder o passeio inteiro, mas elas vem e vão! Todos os dias era um calor sufocante e do nada, começava a pingar. Não dava nem tempo de lamentar e parava... assim ia acontecendo várias vezes durante o dia. Então, mesmo que o mar não estivesse com suas verdadeiras cores da melhor temporada (oi?! Pode melhorar?), ele é igualmente lindo.

Essa é a primeira imagem que você terá quando estiver pertinho de aterrisar! 

Como fui: comprei uma passagem múltiplos destinos (quando você não quer, necessariamente, ir e voltar pelo mesmo lugar) da companhia aérea Copa Airlines (a que recentemente teve um bug no site e vendeu passagens ida e volta para Nova York por 755 reais!), com embarque em Porto Alegre para Cartagena e depois de San Andrés para Porto Alegre. O voo fez conexão no Panamá. Parece inacreditável, mas paguei 1442 reias o total dessas passagens. E foram "caras" diante das inúmeras promoções que frequentemente são lançadas para estes destinos, ademais eu estava indo em período ainda de férias e as comprei faltando 11 dias para o embarque. 

Fiquei 3 dias em Cartagena e segui para San Andrés fazendo um voo interno pela Viva Colombia (companhia de baixo custo – leve o tícket impresso, pois eles cobram a impressão no balcão de check in). O roteiro seguiu por mais 7 dias (hospedada no Hotel Villa San Miguel - a 2 minutos a pé da praia central, equipado com frigobar, micro-ondas, fogão e um abençoado ar condicionado) sendo que fiquei dois dias na Isla Providencia (uma ilha naturalmente espetacular com acesso somente via aérea ou de catamarã).

Quase em frente ao hotel, havia uma balada, chamada Coco Loco, pensei ao fazer minha reserva: olha que legal, vou conhecer a noite colombiana no fim de semana e ainda vou voltar a pé “pra casa”! O que vocês acham que aconteceu? Dormi! :D Faltou pique no fim do dia!

Curiosidade: San Andrés está muito próxima da Nicarágua! Mais do que da própria Colômbia. O arquipélago (formado por San Andrés, Providencia y Santa Catalina) já foi a razão de muitas disputas entre os dois países.

Gastronomia: Surpreendentemente, comer lá é muito em conta. Os pratos com peixes e frutos do mar são destaque. Arroz com leite de coco e patacones (bananas em pedaços fritas) está presente em muitos cardápios. Nas bebidas: a limonada de coco e o café colombiano, considerado um dos melhores do mundo, comandam. Há o café Juan Valdéz (uma espécie de Starbucks colombiano) espalhado por vários pontos de Cartagena e em San Andrés há um quiosque de frente para o mar no calçadão. Os restaurantes que mais gostei vou colocar em outro post, mas anota aí o imperdível: La Regatta. ;) 

Para se locomover: há ônibus mas não precisei utilizar e tem táxis (sem taxímetro, combine com o motorista o valor da corrida antes), agências de turismo também oferecem passeios, mas o que mais se vê são os turistas alugando scooter, buggys, mules, carrinho de golfe... para dar a volta na ilha (são 26 km²) em um só dia. Os preços das diárias variam em média de 70.000 COP. 

O que fazer: É indispensável a sapatilha para entrar na água de algumas praias e não machucar os pés nos corais. Não consigo lembrar o valor exato que paguei, mas foi em torno de 10.000 COP (convertendo para reais: R$ 13,00). 

Parece que estou em uma piscina, né?!

Alguns nomes que você vai ouvir: Rocky Cay, Hoyo Soplador, La piscinita (pessoal recomenda bastante, mas eu não fui), San Luiz, West view (fiz o mergulho que descreverei abaixo), Johnny Cay (5.000 taxa pra entrar), El Acuario e é claro, a praia central...

Para fazer o reconhecimento do território (rs), caminhe a beira mar. As pessoas correm, fazem caminhada, passeiam... e você vai perceber como é um lugar democrático, que consegue agradar jovens, idosos, casais e o número de famílias com crianças era enorme! 

A foto da erquerda mostra o calçadão em que há várias lojas.

Além disso, há muitos passeios pela ilha custando 15.000 COP. Do calçadão que tanto falo, indo em direção a areia, encontrará uma "casinha": a cooperativa dos barqueiros. Os passeios com eles são econômicos e você pode escolher entre combinar, por exemplo Johnny Cay + El Acuario no mesmo dia. Eu preferi fazê-los separadamente e curtir cada um. 

JOHNY CAY

Olha a galerinha reunida ali!

A água (fotos superiores) lá não é das mais "calmas"... Foto abaixo: Percebeu algo familiar na área de alimentação da ilha? 

EL ACUARIO

As "piscinas" naturais ficam a uma curta distância de barco. Leve seu snorkel (ou alugue quando chegar lá) e sapatilha! A visibilidade na água é tão boa que se não quiser flutuar com o snorkel, verá os peixes sem molhar a cabeça!

 

À esquerda: o trajeto de barco no mar vai recebendo várias nuances! À direita: "estacionando" nosso barquinho!

Atravessando a pé um trecho de água rasa, chega-se a uma ilhota chamada Haynes Cay. Dica: quando chegar o seu barco, faça o contrário de todo mundo e não vá para as piscinas naturais. Vá primeiro para a ilhota (que o povo deixa por último), para vê-la mais vazia! 

Lotadinha!

LUGARES PARA MERGULHO OU SNORKEL - WEST VIEW (há um trampolin) E LA PISCINITA. 

Estive em West View apenas para fazer o Aquanautas: um mergulho de 6 a 8 metros de profundidade, ideal para quem não quer mergulhar com cilindro. É uma opção muito confortável, pois por meio desse escafandro ("capacete") de 35kg (que nem se percebe), podemos respirar normalmente no fundo do mar. A pressão que ele exerce permite isso, e não entra água dentro. Você pode caminhar naturalmente, preso a um cabo que bombeia ar para o escafandro. Antes de entrarmos, molhamos a cabeça várias vezes, para equilibrar a temperatura da cabeça com o corpo. E há que se ter, claro, os cuidados ao descer e ao subir, por causa dos ouvidos e somos instruídos de como fazer isso. Por isso, eu escolhi fazer esta atividade logo na minha chegada a ilha, pois é necessário um intervalo de 48 horas entre um mergulho e um voo (doença de descompressão). Conversei com um rapaz brasileiro no dia anterior, que relatou o acontecido com outro brasileiro do mesmo hostel, ele se jogou no mar e mergulhou tão profundo e depressa, que os ouvidos perfuraram.

Não é uma atração barata! Custa 100.000 COP e você não pode levar câmera aquática. As fotos e vídeos serão registrados por um dos mergulhadores e se for do seu interesse, pode comprá-las (pen drive) no final pelo preço de 80.000 COP. Foi interessante estar lá embaixo (eu dava gargalhadas) e dividir por uma meia hora o espaço com a vida marinha. 

 Além de caminhar no fundo do mar de San Andrés, resolvi vê-lo por cima através do voo de Parasail (a pessoa fica suspensa em um paraquedas a uma altura média de 120m e é puxada por uma corda presa a uma lancha). Utilizei o serviço da Marine Parasail. 

Se quiser ficar sossegado(a) na água: 

 

Primeira foto: vista de Rocky Cay, pequena ilha com um navio encalhado. Segunda foto: praia no centro. 

Compras: a ilha é isenta de impostos (tinha perfumes com o preço surreal). Apenas certifique-se de que o local trabalha com produtos originais. 

Eu estava em fase de decorar minha casa nova e achei peças decorativas lindas!

Onde quer que você vá, não se restrinja a conhecer só o que está arrumado para turista ver, conheça como o local realmente é.

De um lado, paisagens bonitas, um pouco de poluição do agito. Do outro lado o frescor de uma parte pouco habitada. Em outro canto, muito lixo nas ruas e povo aglomerado com música alta. Muitos policiais espalhados (em toda a ilha, diariamente). Pergunto porque tantos, especialmente, aquele dia e ouço: por que hoje é feriado aqui e as vezes dá "peleia"!

É engraçado a quantidade de motos circulando... e em cima delas vão quantas pessoas couber! Vi uma com 3 pessoas adultas... vi outra com uma mulher e mais 3 crianças, vi mãe com nenê no "canguru". Me pergunto se capacete não existe por lá...

Quem vai para San Andrés precisa saber: não há tanto luxo como em outros lugares do Caribe. Alguns hotéis não tem água quente e ela não é dessalinizada. A ilha é muito simples, mas acolhedora e com um povo que está sempre "a la ordem" e "com mucho gusto". Um destino que oferece acessivelmente o “mar das sete cores”. 

Agora eu quero saber de vocês: o que querem ver nos próximos posts? Me ajudem a descobrir! :D

Estou fazendo uma lista de sites que utilizo antes de viajar e dos aplicativos que utilizo durante a viagem. Se vocês tiverem um ótimo a sugerir para nossa lista, me enviem um direct.

Se de alguma forma o blog está te ajudando a planejar uma viagem ou a sonhar com ela, comenta aqui! Compartilhe em suas redes as publicações que mais gostou e que acha que podem inspirar alguém! 

Se ficou com alguma dúvida, sinta-se bem a vontade para perguntar.

Se foi viajar e quer que a gente veja, marque a foto no instagram com a hashtag #auembarqueimediato 

Até o próximo post! Vejo vocês no insta @daianeschroder 

Um abraço e ótimos embarques! 

 

Página no Facebook: https://www.facebook.com/auembarqueimediato

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica