PUBLICIDADE
9 - coronavírus
Embarque imediato com Daiane Schröder
Embarque imediato com Daiane Schröder

Daiane Schröder
Natural de São Sepé, reside em Frederico Westphalen desde 2017. Produz conteúdo sobre experiências de viagens e turismo pelo mundo.
Bacharela em Direito, graduanda em Relações Públicas e pós-graduanda em Influência Digital.
Contato: [email protected]

Ilhabela - Um paraíso em São Paulo

E é logo ali...

Tags: onde viajar nas férias, roteiro para viagem , embarque imediato, blog de viagem, viajar, dicas de viagem, praia, natureza.

Publicado em 22/10/2018, última alteração em: 23/10/2018 17:11 por Daiane Schröder.


Já precisou ir em congresso ou evento na cidade de São Paulo? Está planejando ir?
A capital sempre entra na minha rota por algum compromisso, nunca fui especificamente para turistar. Mas viajante que sou, separo uns dias a mais para perambular. E se eu disser pra você, dessa vez, fugir da capital?
Em 188km do aeroporto de Guarulhos, chegará ao paraíso... Ilhabela! Com 85% da Mata Atlântica preservada, uma cachoeira para cada dia do ano e um mosquito para cada segundo do dia!
Engraçado como acostumamos o olhar para os lugares, não é mesmo? Quando conversei com amigas de São Paulo sobre minha ideia de ir a Ilhabela, para elas parecia um destino de fim de semana, para descansar. Lindo, mas não - mais - surpreendente. Depois que retornei, viram o meu olhar (de turista), e uma delas disse que precisava voltar (e ver diferente), pois o fato de ir frequentemente fazia com que ela não notasse as coisas belas que haviam. É por isso que acho muito bacana conhecer os lugares também pelos olhares e percepções dos outros!
Começamos (levei a mãe!) a tomar vitamina B dez dias antes de chegarmos, acreditanto que usá-la para repelir os mosquitos, mal não ia fazer. Não há comprovações de que realmente funcione para isso, mas o  repelente em loção, esse sim, fazia parte da gente desde a hora de acordar até dormir e inclusive ao entrar no mar.

Chegamos com chuva, mas eu estava amando as calçadas coloridas e a sensação que a ilha proporcionava! Táxi: João (Cal)/ Kléber - (12) 99200 4898/ (12) 99686 8702. Ponto: (12) 3895  8587/ 08007705221

Como fui: De ônibus! De São Paulo fomos até Ubatuba (empresa Pássaro Marron), onde ficamos uns dias e de Ubatuba até Caraguatatuba (Viação Litorânea), chegando lá, mais um ônibus da mesma empresa para São Sebastião. Em São Sebastião, pegamos a balsa para Ilhabela. E o caminho de volta foi Ilhabela – Balsa até Guarulhos Aeroporto. Essa rota foi necessária, pois queria conhecer as praias de Ubatuba, mas é melhor para quem pode ficar mais tempo. Se a ideia é fazer só Ilhabela, você pode pegar um ônibus direto do aeroporto de Guarulhos até a balsa. Valores variam de 50 a 55 reais (cada trecho) e o tempo de viagem, em torno de 5h. Compramos todos os tickets com antecedência, pelo site. Ao descer do ônibus, anda um pouquinho e embarca (a pé) na balsa. Quem alugar um carro, e quiser vir margeando a costa, fará um trajeto mais demorado... mas conhecerá outras praias. 

Quantos dias fiquei: Infelizmente, apenas 4. E por isso, conhecemos poucos lugares. Priorizei as praias com fácil acesso para incluir minha mãe em cada passeio - e mesmo assim, exponho minha sugestão de adequação nos tours, como por exemplo: subir e descer da lancha necessita de uma escadinha! Nem todo mundo consegue pular para sair ou fazer força no impulso ao subir! 

Vista a partir da pousada.

Mimo ao chegar e café da manhã delicioso.

Onde fiquei: Pousada Manga Rosa. Recordo de estar sentada no espaço de convivência, preenchendo os papeis para enviar por email e efetivar a locação do meu apartamento em Frederico! Quando voltasse, uma nova vida começaria. A estada na pousada foi excelente: camas confortáveis, reposição de amenities diariamente, quarto com banheira de hidromassagem, cafezinho com bolachas ao entardecer e o mais maravilhoso: um farto café da manhã! Nossa acomodação ficava em andar superior, portanto precisávamos subir escadas (solicite o quarto no térreo, se for melhor). E tudo isso, próximo ao centrinho (dá pra ir caminhando tranquilamente) e do píer de onde saem barcos para passeios. A pousada é fruto do sonho de um casal que trocou os ternos e sapatos, escritórios e tribunais: substituíram os bons empregos em Curitiba, de engenheiro civil, ele, e advogada e servidora pública, ela, por um projeto hoteleiro transformado em trabalho prazeroso, com mais qualidade de vida em suas rotinas. As diárias começam em 270,00 para duas pessoas (consultado o mês de outubro). 

O que fiz: 

Caminhamos pelo centrinho (Vila)...

Admiramos a arte e a criatividade nas lojas...

Nos surpreendemos com algumas opções...

Sabonetes em formas de frutas que pareciam estar na feira... Cachaça de milho verde? De rapadura? Curioso!

Em toda orla, muitos parquinhos para crianças...

 

Espiamos uma missa na Igreja...

Vimos o anoitecer colorindo por trás da fonte interativa na praça...

As luzes do píer...

Fomos até Praia Grande... nem azul nem verde... 

Mas experimentamos uma caipirinha de folhas de mexerica (bergamota, tangerina, mimosa...). Um drink criado a partir da falta de frutas após um inverno rigoroso. Escolhi com saquê, por ser uma bebida mais leve.

Fizemos o Ilhabela Jeep tour atravessando o Parque Estadual, indo por terra e voltando por mar, após visitarmos a Praia de Castelhanos.

A praia com formato de coração é uma das que estão viradas para o mar aberto. O "mirante do coração" na verdade não existia (fui em fevereiro de 2017). Não havia nenhuma placa sinalizando a entrada pra mata, sem corda, sem corrimão, nada para subir, nem mesmo degraus. A subida era íngreme e o sucesso dela se daria pela força nas pernas e intuição de onde seguir. Eu estava com um casal que veio no mesmo jipe, e eles resolveram adentrar em um "buraco" no mato. Segui mais atrás. Depois de trilhar um pedaço, milagrosamente passou um menino caiçara e o chamei. Ao perguntar ele não só indicou o caminho como nos acompanhou. Voltamos todo o trecho percorrido, pois havíamos entrado no lugar errado... Sei lá onde sairíamos, segundo o menino: em uma outra praia. 
Ao subir na trilha certa, o namorado da menina desistiu no início e eu subi quase até o topo (como já se vê na foto à direita), mas estava de chinelos, vestido, bolsa de praia e câmera e não quis continuar, pois o risco de resvalar o chinelo era grande e não havia nenhum tipo de proteção. A menina (coincidentemente, gaúcha) estava de tênis, calça e só com o celular, seguiu o menino (que subia correndo) até ter a visão da foto à esquerda. De onde eu observei, já estava lindo... A visibilidade estava um pouco afetada por aquelas árvores, mas já valeu. Não sei quais as condições atuais, mas espero que tenham estruturado o mirante pra que mais pessoas tenham acesso a essa visão especial.

Nas foto abaixo, a entrada para o mirante está à direita. E graças a uma moradora da capital que vem se refugiar na ilha sempre que pode, descobri que caminhando próximo àquela "ilhota" da esquerda, temos uma área sem ondas e é rasinha:

Batida de coco.

Essa foto mostra que o retorno de lancha, foi um pouco preocupante (pra minha mãe), poís íamos contrárias ao mar. E também se consegue ver as picadas de mosquitos nas pernas da menina ao lado!

Praia da fome! Segundo minhas estatísticas, 1000 mosquitos atacam simultaneamente você, aqui! Mas é linda! 

Ilhabela, hoje, é vista por nós como um paraíso. Mas na metade do século 19, desembarcavam muitos escravos trazidos da África: uma parte vergonhosa, bárbara e desumana da nossa história. 

Um banho na Praia Saco do Eustáquio:

Nenhuma das fotos acima possuem filtros ou qualquer alteração!

Outras praias pedem uma visita, como a do Bonete, apontada pelo Jornal britânico The Guardian como uma das 10 mais bonitas do Brasil. Se você gosta de esportes, a ilha é capital da Vela e sedia o maior evento dessa modalidade na América do Sul. Pode também praticar kitesurf, windsurf e mergulho.

Onde comi: Almoço: Restaurante Manjericão e o Cheiro Verde. De noite: Bem dito bistrô e Creperia N´areia. Para um sorvete de tarde: Gelateria Tradizionale.

Degustamos cerveja artesanal e local, crepes e pratos vegetarianos, como: lasanha de abobrinha e bife de soja à parmegiana.

 

Ilhabela vai ficando para trás e enquanto a Balsa atravessa... um arco íris agradece! Quem agradece, somos nós!

Durante meus dias em Ilhabela, senti uma verdadeira paz. Paz pela conexão com a natureza, mas paz também com as escolhas. Cada lugar que viajo me proporciona uma reflexão para o momento em que estou vivendo. Este, simbolizou a tomada de decisões e a mudança. Em uma das tardes, no livro que lia, encontrei a seguinte frase do poeta Sufi Rumi: "O que você busca vem buscando por você". 

Uma mudança de direção + sincronicidades da vida: e eu cheguei até vocês! 

Obrigada por estarem comigo!

 

Dúvidas, sugestões, contato:

@daianeschroder

auembarqueimediato

 

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel