PUBLICIDADE
9 - coronavírus
Embarque imediato com Daiane Schröder
Embarque imediato com Daiane Schröder

Daiane Schröder
Natural de São Sepé, reside em Frederico Westphalen desde 2017. Produz conteúdo sobre experiências de viagens e turismo pelo mundo.
Bacharela em Direito, graduanda em Relações Públicas e pós-graduanda em Influência Digital.
Contato: [email protected]

Você consegue imaginar como uma área totalmente improdutiva se tornou o maior parque privado da América Latina?

Não foi de repente; foram anos acreditando e plantando. E esse lugar fica aqui, no Rio Grande do Sul!

Foto à direita: entrando no parque - Ano 2018.

Após passar uma manhã conhecendo os pomares de oliveiras em Cachoeira do Sul (se ainda não viu, clica aqui), seguimos por 25 km até a cidade de Novo Cabrais. Quem nos recebeu foi Henrique Witeck, que abriu o parque com exclusividade para o Blog Embarque Imediato (o parque não abre durante a semana) e ainda nos presenteou com uma visita guiada repleta de informações, curiosidades e relatos bem pessoais. Seu pai foi o criador de toda aquela ideia e do ideal: Acido Witeck era médico militar no Rio de Janeiro e foi transferido para Cachoeira do Sul, onde passou a residir com os filhos e a esposa. Um dia, no ano de 1960, ele foi buscar um soldado enfermo em Agudo e passando por aquelas terras, se apaixonou. Dois anos depois, comprou uma área de 10 hectares, mas em situação de extrema degradação pelas queimadas, criação intensiva de gado e desmatamento das reservas nativas. A terra era tão ruim que não havia nem minhocas, mas ele as trouxe! E mesmo ocupado com sua profissão, encontrava tempo para plantar. Em 1966 as primeiras árvores foram plantadas, sendo hoje 70 hectares que compõem o parque com mais de 2700 espécies de plantas de mais de 25 países de todos os cinco continentes. 

Os caminhos por dentro do parque (ressalto que há acessibilidade e calçamento adequado aos cadeirantes), são sinuosos, baseados em filosofias orientais que dizem: em linhas retas o mal prevalece, em linhas curvas o mal se perde e o bem prevalece.

Essas curvas proporcionam um andar mais contemplativo, trazem a ideia de diminuirmos o nosso ritmo de vida para vivermos mais (e melhor!).

O silêncio natural é surpreendido com a chegada repentina da chuva, que se convidou para o passeio. Enquanto nosso anfitrião buscava os guarda-chuvas, eu descobria a forma de propagação da semente araribá e observava como duas delas formavam “asas”, já que havia em minha companhia, meu primo e sua esposa, que compartilhava seu conhecimento como Dra. em Agronomia.

Ouvíamos de Henrique explicações sobre plantas, recantos e projetos futuros para o parque. No vídeo, conheça algumas:

 

No percurso, encontra-se o Recanto das Palmeiras (a da foto abaixo é originária de Madagascar), o Recanto Paleontológico (árvores fossilizadas com mais de 225 milhões de anos), Recanto Europeu, Recanto das Coníferas, das Caducas, o Túnel do tempo...

No Witeck sempre há um motivo para plantar mais e mais árvores: no dia do meio ambiente, no dia da árvore, no dia do aniversário (já são 56 anos de existência) e os últimos dois números do ano em curso (2018: 18 árvores).

Não parece uma casinha dos livros de "contos de fadas"? 

Deusa Ceres - deusa da colheita e da agronomia. Ceres= cereais. 

Na Capela de todas as religiões (aberta dos quatro lados e futuramente, será envidraçada), Henrique conta que já houveram nove casamentos. O último que aconteceu, foi surpresa para a noiva!

- Trouxeram ela vestida toda de noiva e maquiada porque tinha ganhado um concurso para o book de uma loja de vestidos de noiva em Santa Cruz. Quando chegou, a família já estava a esperando!- disse ele. 

Também se passa pelo Bosque Alemão, pelo Bosque da Vida (em que pais vem ao parque plantar uma árvore, representando o filho que está para nascer e a cada visita, podem acompanhar o crescimento comparado ao do filho), o Recanto da Paz, e o Bosque da Saudade avista-se ao longe (neste, os familiares podem deixar as cinzas de seus entes). 

No bosque da vida, Henrique aponta duas pequenas araucárias que foram plantadas próximas uma da outra e explica: - A casualidade: De manhã, chega um casal de São Jerônimo, ela grávida de uma menina. Na época, a previsão de nascimento era 12 de janeiro. O nome da menina: Cecília. De tarde, chega um casal de militares de Santa Maria. A mulher, grávida de uma menina, Cecília. Previsão de nascimento: 12 de janeiro. Plantamos as araucárias Cecílias uma do lado da outra!

Os lagos Encantado, Espelho do Céu, Mágico e da Paz são espaços de verdadeira serenidade. Ainda há os lagos Negro e Selvagem, que não são abertos por ser tratar de áreas de preservação. 

Árvores com raízes respiratórias: 

Enquanto caminhavámos, Henrique ia relembrando instantes vividos ali: - Um rapaz pretendia pedir a namorada em casamento e perguntou se poderia esconder as alianças no meio da terra. Então, na hora que ela fazia o plantio as encontrou e o pedido foi realizado!

E continua, enquanto nosso apetite por histórias só aumenta: - No ano retrasado, recebemos um casal que mora na França. Há 17 anos, neste parque, ele a pediu em noivado!

Logo em frente, algumas árvores despertam nossa atenção no Recanto Australiano: 

 

São as Melaleucas! - Havia um professor, em Frederico Westphalen (que agora está em Santa Maria); ele dava aula no Colégio Politécnico e faziam muita produção dessa árvore. São plantas medicinais, as cascas são antifúngicas, das folhas extraem o óleo (esfoliante e antisséptico) e utilizam a casca como isolante térmico e acústico, como se fosse um isopor. - narra nosso anfitrião. - Ela é original da Austrália, de regiões onde há deslizamento de terra, entre vales... e pode ficar assoriada com terra até lá em cima, isso a protege!. Ao tatear a árvore, posso sentir sua formidável maciez. 

Não tão longe, ele avisa: - Este vai ser, daqui 7 anos, um dos atrativos do parque! O eucalipto arco íris será todo colorido!

A muda, ganhou de um viveiro de Palmital ou Palmitinho (tantas já chegaram, que não deve ser fácil lembrar de onde vieram cada uma): - De um viveiro muito grande, com árvores diferentes.

Como os eucaliptos ainda estão crescendo, busquei na internet as imagens da espécie.

Nosso anfitrião faz uma pausa: - Vou ali apanhar umas camélias! - especifica. - Para minha mãe! - ela possui alzheimer. - São suas flores preferidas!

Um gesto afetuoso para reavivar a memória do coração. E lá se vai, a nossa frente, levando na mesma mão, o guarda-chuvas já fechado e o buquê de camélias recém preparado. 

Henrique desacelera o passo e adentra esta casinha acima do lago de lótus (uma das flores com mais profunda simbologia)...

Ele repousa seus pertences em um canto, senta-se sobre a mureta de madeira e começa a contar a história do Parque Witeck:

Camuflando minha emoção sob os óculos embaçados, escuto Henrique, em frente à imagem do pai, no coração do parque (com o tempo, as três pedras formaram um coração) descrever os últimos momentos ao lado dele.

Quando o Dr. Witeck adoeceu, o filho estava em casa cuidando-o. Foi quando o pai cochichou:

- acordado?

- Eu

- Por que tu acordado?

- Ah, estou acordado porque eu to cuidando do senhor. Quando eu era pequeno, o senhor cuidava de mim, por que agora não vou cuidar do senhor?

- , então vamos conversar. Eu quero que as cinzas sejam espalhadas pelo parque e pelos lagos.

- Nããão, isso vai demorar. -Argumenta o filho.

- Não, não. Isso é uma questão de pouco tempo.

"Claro, ele como médico sabia"... explica Henrique.

- Mas tem mais uma coisa que eu quero te dizer: não importa onde eu estiver, eu vou estar sempre te ajudando.

"Quando tem algum problema, eu deito em um daqueles bancos ali: e agora paizão, o que eu vou fazer? E daqui saí a resposta." 

As camélias...

E esse foi o legado deste pai e ser humano.

O que podemos aprender com o Parque Witeck? Muito! Primeiro, tudo o que precisamos para começar algo, é de um sonho e uma grande vontade de fazer dar certo. É a partir da primeira árvore plantada, que se começa uma floresta. Uma atitude, muda a sua história e a de muitas pessoas.

Segundo, a natureza deixa uma lição: a terra se recuperou com a atenção e cuidado; e as estações se renovam transformando tudo o que há ao seu redor. Cada uma, insere sua beleza ao parque. Metaforicamente, dessa forma é a nossa vida.

E você, que legado quer deixar para as próximas gerações? 

Gratidão, Família Witeck.

Fotos acima: Henrique/ Parque Witeck. Reparem na flor azul: é chamada de borboleta azul, possui asas, corpo e anteninhas. Origem: Quênia e Uganda.

Informações: 

-Localiza-se na BR 153 – km 350, próximo ao trevo de acesso à Santa Maria/Santa Cruz do Sul no município de Novo Cabrais - RS.

-Aberto à visitação aos sábados, domingos e feriados nacionais, das 9 às 18h. 

-Agendamento para escolas por email ou pelo telefone (51) 9 9997 2071, com Regina (é a bióloga do parque e foi ótima com as dicas de lugares para almoçarmos na cidade vizinha).

-Valores de entradas: R$ 10,00 para acima de 10 anos, R$ 5,00 para crianças de 4 a 10 anos. Crianças menores de 4 anos não pagam. 

-Lembretes: não fumar dentro do parque, deixar as plantas no seu lugar, não jogar lixo no chão, não acampar e como não há restaurante dentro do parque, é aconselhável levar seu lanche. O parque merece um bom tempo o apreciando e a fome vai chegar. Quando ela chegou, já estavámos próximos a cidade de Agudo, onde saboreamos um café colonial no Super Lis: Sextas e sábados das 14:30min às 18:30min. Localizado na Avenida Euclides Kliemann n°1346. Valor: R$ 26,00 por pessoa o buffet livre (há a opção por quilo). 

Para ver mais fotos (tão lindas como essas), acesse o instagram do Parque: https://www.instagram.com/parquewiteck/  

Site: http://parquewiteck.com.br

O Parque é muito procurado para ensaios fotográficos, eles apenas solicitam que não sejam utilizados materiais que poluam as áreas. 

Abaixo, algumas fotos que demonstram o potencial fotográfico a ser explorado nos cantos e recantos do Witeck.

 

Fotografias: Lucas Cirolini. Ensaio 15 anos: Maria Eduarda Gauze Cardoso. Imagens gentilmente cedidas para o blog. 

Homenagem presente no coração do parque:

Embarque Imediato no Facebook: https://www.facebook.com/auembarqueimediato/
Embarque Imediato no Instagram: https://instagram.com/daianeschroder/

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica