PUBLICIDADE
9 - Cotrifred

Brigada Militar

Curso desenvolvido no 37º BPM teve duração de nove meses

Publicado em 09/08/2019, última alteração em: 09/08/2019 21:23.

Por:



11 - Razia

Dias antes da formatura, a resposta “sim, senhor” ecoava no 37º Batalhão de Polícia Militar (BPM) diante da pergunta se todos estão preparados para encarar a missão de ser policial. Os 27 remanescentes, dos 30 que iniciaram o curso de formação em Frederico Westphalen, tornaram-se soldados em uma difícil rotina de nove meses, que foi concluída com a solenidade nesta sexta-feira, 9, em frente à Catedral Santo Antônio, com a presença de autoridades da região.

Recrutados em Porto Alegre, os novos policiais iniciaram com o período básico, chamado de adaptação à caserna, onde ficaram aquartelados por 40 dias, para inseri-los na rotina militar. Os 20 homens precisaram se adequar a fazer a barba todos os dias e manter o cabelo curto. As sete mulheres, conviveram com cabelos presos, em coque. Todos tiveram a exigência de ter a roupa passada e o coturno engraxado. A roupa impecável é uma das muitas regras da Brigada Militar (BM), com a justificativa de passar uma boa imagem da instituição.

– Quem não é acostumado com as normas militares acaba sentindo um pouco o ‘baque’, mas tudo isso faz parte da adaptação deles à vida policial – destaca o sargento Jonas Almeida.

O dia começava cedo no batalhão. Na alvorada, às 6 horas, todos os alunos – 20 gaúchos, seis catarinenses e um paraense – deveriam começar a se preparar para o início das atividades marcadas para as 7h30min. Nos primeiros dias, os treinamentos findavam às 21h30min.

Para que os professores (todos policiais) pudessem passar todo o conteúdo, os então alunos-soldados foram inseridos à sala de aula com disciplinas de criminologia, legislação e áreas ligadas à Brigada Militar, como algemação, busca pessoal, condução de presos e prática de tiros. Concomitante a isso, exaustivos treinos físicos exigiam dos jovens uma aptidão necessária para a função.

Em março, após cerca de cinco meses de aprendizado, os alunos foram desafiados às abordagens na rua e ao atendimento de ocorrências em 60 horas de estágio acompanhado. Neste período, antes mesmo de estarem formados, puderam vivenciar o que virá pela frente.

– Eles atenderam homicídios, acidentes de trânsito com morte, tráfico de drogas, posse e porte ilegal de arma de fogo, posse de entorpecentes, agressões a mulheres e variadas infrações de trânsito. No nosso entendimento, eles vão sair muito bem preparados – revela o tenente Erasmo Mossini.

Agora, o 37º BPM, responsável pela formação dos soldados, aguarda um posicionamento da Brigada Militar quanto aos locais em que os policiais serão empregados. De acordo com o comunicado da Secretaria de Segurança Pública do Estado, um dos objetivos é garantir o efetivo mínimo de cinco soldados em todos os municípios gaúchos.

 

Na edição impressa deste sábado, 10, uma reportagem especial revela os desafios dos soldados. Assine! 

 

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Dedetização Daniel
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica