PUBLICIDADE
9 - Balonismo Trip

Gilnei Kraftzuk

Aos 17 anos, Kraftzuk iniciou sua trajetória em busca do sonho

Publicado em 07/01/2019.

Por:



São muitas as histórias de meninos e meninas que, na infância, inspirados por um show aéreo, despertam a vontade de seguir a carreira de aviador, infantaria ou intendência. Se para muitos o sonho de se tornar oficial da Força Aérea Brasileira (FAB) começa ainda na infância, é na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), que esse sonho ganha forma. E foi exatamente assim que aconteceu com o frederiquense Gilnei Kraftzuk, de 24 anos.

 

A preparação

Aos 17 anos, Kraftzuk iniciou sua trajetória em busca do sonho. De Frederico Westphalen, onde morava com os pais, Sérgio Francisco Kraftzuk e Nilsa Ceolin, e com as irmãs Jaisa e Lais, ele partiu rumo a Barbacena (MG), onde iniciou os estudos na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR). Após três anos, passou mais quatro em Pirassununga (SP), na Academia da Força Aérea (AFA), onde em 7 de dezembro de 2018 recebeu o seu brevê e diplomação de aspirante a oficial. 

Durante a formação de quatro anos, os cadetes recebem instruções militares de formação básica e cursam o bacharelado. No caso de Kraftzuk, ele formou-se em Administração com ênfase em Administração Pública e Ciências da Logística com habilitação em Intendência da Aeronáutica, inclusive, ficou como o primeiro colocado da turma. “Os militares saem da AFA com dois diplomas e com o conhecimento para fazer a gestão de finanças, patrimônio, subsistência e material, por exemplo. O intendente pode ver o reflexo do seu serviço nas realizações da FAB, pois ele dá suporte para que todas elas aconteçam, desde a alimentação até a decolagem das aeronaves”, ressalta.

 

Orgulho em servir

Para Kraftzuk, a carreira militar tornou-se uma opção por a FAB se tratar de uma instituição que possui respeito e por ele se identificar com os princípios lá presados, e diz estar completamente realizado e orgulhoso em pertencer à Força Aérea.

– Depois de todas as dificuldades enfrentadas durante esses sete anos de formação, as quais não foram poucas, de ter superado dois concursos concorridíssimos, sinto-me completamente realizado em pertencer a esta força armada que, com seu trabalho árduo e silencioso, protege o nosso país das diversas formas de ameaças que enfrentamos diariamente – frisa o frederiquense.

 

Cumprindo a missão

Agora, depois de formado, Kraftzuk integra as fileiras da Força Aérea para cumprir a missão que a ela é determinada, que é “Manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da Pátria”. Para isso, agora estará trabalhando no Grupamento de Apoio de Curitiba (PR), atuando para apoiar as unidades da FAB lá sediadas.

– Somos as asas que protegem o país. Uma nova fase inicia agora, a qual quero continuar dando o meu melhor. Quero me estruturar, abraçar as oportunidades que vão surgir e quero sempre estar perto de minha família, que foi essencial para a realização desse sonho – finaliza.

 

Texto: Suseli Cristo

 

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.
PUBLICIDADE
13 - Zooclínica
PUBLICIDADE
13 - Detetizadora Daniel