Construção Civil

“O mercado imobiliário é atraente porque as pessoas estão sempre inovando, buscando alguma coisa melhor, adquirindo, ampliando, trocando e investindo”

Publicado em 11/10/2018.

Por: Thaís Jacomelli



Com a baixa dos juros para financiamento habitacional da Caixa Econômica Federal e o aumento da porcentagem financiada por parte de imóveis usados, pode-se notar uma melhora na procura e fechamento de negócios imobiliários. Um crescimento mais significativo não está ocorrendo ainda por causa da situação política e da desconfiança da população perante as eleições deste ano. O corretor de imóveis da imobiliária Marcos Lima, Mauro Dalla Costa, acredita que após o término das eleições a população já terá um "norte" do que virá pela frente, tendo mais garantia para investir seu dinheiro ou para fazer a compra de um imóvel utilizando financiamento com prazo mais longo. “Imóveis na planta ainda continuam sendo a melhor opção para investir, pois após o término de obra estes sempre ganham uma boa valorização. Além desta valorização, as formas de pagamento são diferenciadas, tanto com financiamento diretamente com a construtora ou através de bancos”, acrescenta.

Outra opção interessante é a compra de terrenos em loteamentos novos. “Quanto mais casas forem construídas dentro destes novos loteamentos, mais os terrenos valorizam”, comenta Dalla Costa, destacando que esta opção de investimento pode substituir a poupança, onde você adquire agora com pensamento de vender no futuro e ter uma boa lucratividade. “Hoje, a maior procura é por lotes urbanos, pela quantidade de novos loteamentos que existem em Frederico Westphalen e pelo bom valor da mão de obra. Com isso, as pessoas estão com a preferência de comprar e construir a casa que imaginam. Os imóveis prontos, para serem comercializados, estão sofrendo uma queda no valor por conta desta menor procura, tornando-se também atrativo e com uma maior porcentagem de desconto”, finaliza o corretor.

 

Dados do município

Segundo dados da Prefeitura de Frederico Westphalen, correspondentes ao número de Impostos de Transmissão de Bens Imóveis (ITBIs) recebidos, analisando o período de 1º de janeiro a 31 de agosto, o ano de 2018 apresentou um aumento de 5% em relação ao ano de 2017, no mesmo período. Fazendo um comparativo dos últimos três anos (2016, 2017 e 2018), entre rural e urbano, percebemos que enquanto o recebimento de ITBIs rurais diminuíram em 22,2%, o urbano aumentou em 8,7%, o que nos mostra um aumento que vem ocorrendo gradativamente na aquisição de imóveis urbanos no município.

 

Hora de planejar

Segundo o corretor Fernando Tomazoni, proprietário da Tomazoni Imóveis,as pessoas estão começando a projetar e planejar novas construções e investimentos. “Nestes últimos seis meses podemos ver uma mudança no sentido de as pessoas buscarem informações, aumentaram as vendas, mas, principalmente, a procura por informações. A gente percebe que elas estão esperando essa decisão da política brasileira”.

Tomazoni ressalta que nos últimos quatro anos é evidente que o imóvel, principalmente o usado, não teve aumento. “Não subiu nem a inflação. Automaticamente, houve perda”.

Sobre os imóveis novos, Tomazoni comenta que quem perdeu foi o construtor, que teve que diminuir sua margem de lucro para se manter no mercado, já que o custo de produção continuou igual e os valores tiveram que baixar. “Antes se tinha uma margem de lucro de 40%, hoje está em torno de 15% a 20%”, frisa.

– O mercado imobiliário é atraente porque as pessoas estão sempre inovando, buscando alguma coisa melhor, adquirindo, ampliando, trocando, investindo. Hoje, quem tem condições, é a melhor hora para começar a pensar em adquirir e buscar esse ramo, porque é evidente que quando começar a aquecer mesmo o mercado, tudo vai valorizar novamente, entra a questão da oferta e procura, da especulação, automaticamente – finaliza o corretor.

 

Frederico Westphalen possui um mercado próspero

O proprietário da VitrolaRamir Severiano, investe no mercado imobiliário há muitos anos e escolhe essa opção por ser a mais segura, já que a rentabilidade hoje, na aplicação financeira, é muito baixa. “É claro que tem oscilações, conforme as condições do mercado, mas eu vejo que em vários negócios que eu fiz, principalmente na planta, onde os preços são diferenciados, os resultados foram bem significativos”, acrescenta.

O empresário comenta que FW sempre foi uma situação bem atípica no mercado, porque historicamente havia um questionamento que daqui a pouco não ia ter pessoas para adquirir imóveis, que ia faltar gente para tanto investimento. “O tempo mostrou que as pessoas que apostaram no investimento imobiliário estavam certas. O crescimento reflete o perfil das pessoas que moram aqui, que são extremamente investidores, nossa cidade tem muitos empreendedores e o resultado está aí, dificilmente você vê alguém que investiu reclamando ou lamentando esta aposta na área imobiliária”, afirma Ramir.

 – Não é muito comum as pessoas investirem em uma cidade do porte de Frederico Westphalen e ter uma rentabilidade como se tem aqui. Minha sugestão e o meu pensamento em relação a isso é que em FW realmente vale a pena investir na área imobiliária – finaliza o empresário.

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.