PUBLICIDADE
Unopar nº 9

Everton Leonardo Drechsler

Tive meu contato com a música desde os cinco anos

Publicado em 02/06/2018.

Por: Suseli Cristo



Serrano Nº11

Se você tivesse que definir o que a música significa para você em apenas algumas palavras, talvez seria muito difícil, certo? Uma música pode nos fazer lembrar fatos antigos, amores passados, épocas distantes. Ela pode nos deixar felizes, irritados, tristes, melancólicos, animados. Há quem diga que a música é um dom, ela quem escolhe você.

Assim foi para o frederiquense Everton Leonardo Drechsler, que aos cinco anos de idade já buscava a definição para aquela linda arte a qual foi apresentado, e hoje consegue descrevê-la como um dos sentimentos mais bonitos. “Tive meu contato com a música desde os cinco anos, então digo que ela me acompanhou desde sempre. Mas eu queria ir além do que eu já sabia, quis que essa tal ‘musa da arte’ fizesse parte da minha vida profissional, além de ser minha eterna paixão”, destaca Drechsler, que aos 25 anos é bacharel em Música/Piano, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

 

Sem apoio nada é possível

Quem acredita sempre alcança, cantaria o Legião Urbana. Mas como seguir botando fé no seu sonho de ser músico o tempo todo, e não desacreditar que você é capaz. Difícil? Não mesmo, basta ter a família do lado que tudo dará certo. E Everton sabe bem o quanto isso é importante. “Meus pais sempre foram meus grandes incentivadores. Tanto na minha educação e escolhas, assim como de meus irmãos, eles são muito presentes, sempre prestigiando, dando dicas, querendo o melhor. Tenho muito orgulho de ser filho da dona Lourdes e do seu Derli, devo tudo a eles”, frisa o pianista.

 

A profissão

Não era difícil de ver Everton em festas do município e da região, tocando a sua gaita. Com amigos e até profissionalmente, em uma banda de FW, ainda bem jovem, ele já demostrava o seu talento e muitos paravam em frente ao palco para ver aquele menino tão jovem e com um dom admirável para a música. Mas ele foi muito além, formou-se e hoje trabalha como professor de piano e teoria musical do projeto cultural Musikantiga, além de ministrar aulas particulares. Como compositor, é responsável pela trilha sonora do filme “Sheran: O Mandato”. Como performer, interpretando/executando obras, em casamentos e eventos em geral. “Sou extremamente realizado pela escolha que fiz. Hoje sou um multi-instrumentista e cantor. Como disse, a música me acompanhou desde sempre e continuará para sempre”.

E para quem quiser acompanhar um pouco do trabalho do pianista, poderá vê-lo no 8º Festival Atena, que iniciou ontem, 1º, e segue até o dia 10. “Farei um recital na sexta-feira, 8, com meus alunos de piano. Queremos levar o melhor para o público, até porque esta é a primeira turma de piano de Frederico Westphalen. Também teremos outras participações no festival, que será grandioso neste ano”, conta Drechsler.

 

Planos

E para quem pensa que se formar em música já é o suficiente para seguir a carreira se engana. É preciso estar sempre se atualizando, aperfeiçoando essa arte que encanta tanto quem está no palco, quanto quem fica do outro lado, como espectador. “Quero dar sequência ao estudo acadêmico, realizando um mestrado. Pretendo aperfeiçoar meu trabalho ao máximo, gravando e divulgando minhas composições e interpretações, refinando minha técnica de execução ao instrumento e aprofundando meu conhecimento teórico e perceptivo da música. Como sempre digo, todo a realização de um sonho vale muito a pena, mas é preciso ter consciência de que o esforço é o combustível para que aquele seja realizado”, finaliza o pianista, que entre os seus sonhos também tem como meta conhecer outras culturas, como a da Europa, Ásia, América do Norte, e levar a sua arte para o exterior, até, quem sabe futuramente, morar em algum destes países.

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.