Antonio Carlos Rossi Keller
Antonio Carlos Rossi Keller

Bispo da Diocese de Frederico Westphalen. Formado em Filosofia e em Teologia, com mestrado em Teologia, pela Pontifícia Faculdade Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo, com especialização em Teologia Espiritual e Formação de Seminaristas, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Sugestões, elogios e dúvidas: clique aqui para enviar um e-mail.

O Batismo de Jesus e o nosso

**Os textos de colunistas aqui publicados são de sua total responsabilidade e não refletem a opinião do jornal O Alto Uruguai.

Publicado em: 09/01/2021

Assim nos diz o Evangelho de hoje, Festa do Batismo de Jesus (Marcos 1, 7-11): “Naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi batizado por João no rio Jordão. Ao sair da água, viu os céus se abrirem e o Espírito, como uma pomba, descer sobre ele. E dos céus ouviu-se uma voz: Tu és o meu Filho muito amado, em Ti pus toda a minha complacência”.

Vemos neste texto, o que aconteceu quando Jesus foi batizado por São João Batista. Alguns sinais extraordinários acompanharam aquele rito, que na verdade era um rito penitencial. Não tinha o mesmo valor que tem hoje o nosso Batismo. Da mesma forma, Nosso Senhor não tinha necessidade de celebrar aquele rito, mas o fez, dando um exemplo de humildade, e para, simbolicamente como dizem alguns padres da Igreja, entrar nas águas para santificá-las, para que a partir daí, as águas batismais tivessem o poder sacramental de produzir um efeito de salvação.

A festa de hoje deve nos fazer pensar em nosso Batismo. Das consequências decorrentes deste Rito em nossa vida. O que aconteceu conosco, no dia em que fomos batizados? Nunca devemos perder a consciência das graças que recebemos neste dia. O Batismo é o início do Processo da Iniciação à vida cristã. Sem ele, não existe vida cristã...

Pelo Batismo, reconciliamo-nos com Deus. “Ao sair da água, viu o céu se abrindo”. Um fato estranho, narrado no Batismo de Jesus, que tem um significado profundo, e nos faz compreender melhor o nosso Batismo. Esta abertura do céu significa a união da terra e do céu. As portas do Paraíso tinham sido fechadas para nós, por causa do pecado dos nossos primeiros pais. Com a vinda de Jesus e a consumação de Seu sacrifício redentor na cruz, novamente estabelece-se esta ligação entre Deus e a humanidade. Por isso, chamamos Jesus de “Pontífice da Nova Aliança” (Pontífice: pontifex, o construtor da ponte). Assim, no nosso Batismo, abriram-se para cada um de nós as portas do céu. A partir daí, nos tornamos aptos, capazes de um dia, entrar no céu. Além disso, o Batismo nos torna capazes de receber, durante nossa vida, todos os demais Sacramentos da Fé.

Pelo Batismo, o Espírito Santo passa a “morar” em nós. Nos tornamos templos vivos do Espírito Santo de Deus, que habita em nós pela Graça Santificante. Ele nos dota de um verdadeiro organismo espiritual, através de seus dons e de suas virtudes.

Outro efeito fundamental do Batismo é o de nos fazer Filhos de Deus. Aplica-se a cada um de nós as palavras que Deus Pai proferiu, no momento do Batismo de Jesus: “E dos céus ouviu-se uma voz: Tu és o meu Filho muito amado, em Ti pus toda a minha complacência”.

Também, pelo Batismo, somos inseridos no Corpo Místico de Cristo, que é a Sua Igreja, da qual Ele é a Cabeça e nós os membros. Somos enxertados em Cristo e em nossa vida corre a seiva da Graça que nos renova e santifica.

Portanto, não erramos ao afirmar que o Batismo é o acontecimento mais importante da nossa vida terrena. Devemos sempre agradecer a Deus e àqueles que cuidaram para que nós fossemos batizados. Uma ótima iniciativa seria aquela de conhecer o dia de nosso Batismo, celebrar este dia com o um dia de festa e procurar saber quem foi o ministro do nosso Batismo e rezar por ele, pelos nossos padrinhos e por nossos pais ou por aqueles que nos levaram à fonte batismal.

Conscientes da importância deste Sacramento da Fé, os pais nunca devem relaxar nesta atitude de oferecer o quanto antes possível a graça do Sacramento do Batismo para seus filhos. Não se cuida de alguém com responsabilidade oferecendo somente os meios materiais para o crescimento da pessoa. Ainda mais fundamental é a responsabilidade de oferecer os meios sobrenaturais, que servem não só para esta vida, mas principalmente para a vida eterna no céu.

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.