Antonio Carlos Rossi Keller
Antonio Carlos Rossi Keller

Bispo da Diocese de Frederico Westphalen. Formado em Filosofia e em Teologia, com mestrado em Teologia, pela Pontifícia Faculdade Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo, com especialização em Teologia Espiritual e Formação de Seminaristas, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.

Sugestões, elogios e dúvidas: clique aqui para enviar um e-mail.

O Tempo do Natal

**Os textos de colunistas aqui publicados são de sua total responsabilidade e não refletem a opinião do jornal O Alto Uruguai.

Publicado em: 21/12/2020

No Tempo Santo do Natal celebramos não só o nascimento de Jesus, mas também a Sua manifestação como Luz do mundo. Assim, a celebração do Natal do Senhor se estende por diversos dias, deixando em nossas almas este sabor de festa.

Em primeiro lugar, depois de uma específica preparação que é chamada de Advento, a Celebração do Natal do Senhor traz para o nosso hoje o nascimento do Filho de Deus, acontecido em um determinado tempo da história humana. Ele veio ao nosso encontro, assumindo a nossa carne mortal, humildemente, fazendo-se um de nós, em tudo igual a nós, menos no pecado, como nos ensina o Apóstolo São Paulo. Na pobreza da gruta de Belém, aquele menino colocado em uma manjedoura não é uma “aparência” humana, um simulacro representativo de algo que, na realidade não existe. É Jesus plenamente homem, assim como é plenamente Deus. E Ele vem ao encontro de nossa miséria humana, ou seja, de nós homens em situação de pecado, para nos tirar desta situação, não para condenar-nos por ela. O menino que recebe dons por ocasião de seu nascimento, ofertado pelos reis magos, é aquele que nos trouxe o grande dom da participação na vida divina. Tudo o que ofertarmos a Ele não será nada em comparação ao que dele recebemos: a Salvação eterna.

No Domingo imediato após o Natal, celebramos a Solenidade da Sagrada Família. Neste domingo, olhando para a Sagrada Família de Nazaré, pedimos a Deus que abençoe as nossas famílias e todas as famílias do mundo, que sofrem tanas agressões, tantos ataques, tantas perseguições.

Oito dias depois do Natal (Oitava do Natal) celebramos a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus. Iniciamos o novo ano civil com as bênçãos de Nossa Senhora, a Mãe de Deus e nossa Mãe.

No 2º Domingo depois do Natal, alguns dias depois desta Solenidade tão significativa para a nossa fé cristã, somos convidados a tomar consciência de tão grande dom recebido. Nunca será suficiente nossa gratidão a Deus por Ele ter-nos dado Jesus.

Na Solenidade da Epifania, a luz de Cristo resplandece para todo o mundo. O sinal da estrela que conduz os magos a Belém continua a brilhar em nossas vidas, levando-nos ao encontro de Cristo, o verdadeiro sol que brilha como luz para a salvação do mundo.

Finalmente, o Domingo depois da Epifania celebra o Batismo de Jesus no Rio Jordão, realizado por João Batista. A voz do Pai e a força do Espírito Santo que se fazem presentes neste momento da vida de Jesus indicam com clareza a Sua Missão de salvação no meio da humanidade, indicando também a nossa missão de batizados no meio do mundo, que é a de espalhar ao redor de nós este amor de Deus, que recebemos por meio de Jesus Cristo.

Vivamos com alegria e gratidão este Tempo Santo do Natal do Senhor.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários no site não são moderados e são de inteira responsabilidade de seus autores. Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas.